Já imaginou o quão especial é estar na elite esportiva aos 20 e poucos anos? Isso é um feito raro nos esportes e que pouquíssimos atletas conseguem alcançar. No poker, ninguém melhor do que o alemão Fedor Holz para se consolidar no topo da modalidade sem precisar de mais de cinco anos de carreira.

Holz chegou no cenário internacional como um furacão há três anos, quando dominou as mesas de vários continentes e atingiu um patamar histórico. Entre o início de 2015 até a metade de 2016, ele havia conquistado cerca de US$ 18 milhões em premiações ao vivo. Grandes resultados Monte Carlo, Las Vegas, Austrália, Bahamas e outros lugares que coroaram a carreira do alemão em pouquíssimo tempo.

Em 2016, quando tinha 23 anos, Holz chegou muito próximo de ser considerado o melhor competidor do mundo — perdeu a disputa do Player of The Year (pelo ranking do Global Poker Index) apenas para David Peters. Naquele ano, Holz teve os grandes momentos nas conquistas do Triton Super High Roller Series e Super High Roller Bowl.

A segunda colocação no Global Poker Index, então, foi continuidade da sequência do ótimo momento vivido pelo alemão — ele havia conquistado a 5ª posição em 2015.

A ascensão meteórica de Holz rapidamente o colocou na mídia. No entanto, após a trajetória fantástica de conquistas e ótimas campanhas em um curto período, ele anunciou a aposentadoria do esporte em 2016 para se dedicar a projetos paralelos.

A ausência do poker não foi definitiva. Holz segue praticando a modalidade e disputa alguns torneios de forma bem seletiva. Em 2017, ano que ele não levou o calendário da mesma forma como em outras temporadas, o alemão entrou para 14 torneios e mesmo fora do ritmo comum conquistou US$ 6,8 milhões. Uma conquista que marcou foi em Viena, no Grand Prix Austria, quando venceu o Turbo High Roller.

O mais impressionante é que, mesmo com média pouco superior a um torneio por mês, a premiação conquistada por Holz em 2017 seria equivalente aos 115 primeiros na lista dos mais bem pagos da história.

Tamanho sucesso nos últimos três anos é evidenciado nos números. De acordo com o site Hendon Mob, Holz é o alemão mais bem premiado da história com mais de US$ 26 milhões conquistados ao vivo. Em termos de popularidade, atualmente ele é o terceiro no mundo. Quando o assunto é jogador mais bem pago de todos os tempos, o alemão fica na quinta posição.

Com só 24 anos, Holz não tem mais nada o que provar no poker. Sua trajetória é extremamente bem-sucedida e ele já mostrou que não precisa ter uma grande sequência de torneios para ser competitivo.

Para aqueles que conhecem Holz há muito tempo a trajetória vitoriosa não é coincidência. Quando era pequeno, ele tinha um QI que atingiu 155 — perto de ser considerado um gênio. Para se ter uma ideia, Bill Gates e Albert Einstein computaram 160 no teste.

A linha de trabalho de Holz no feltro é composta por muito estudo e dedicação na parte mental. Ele representa a mentalidade do poker moderno com interesse por psicologia e motivação.

A importância que Holz dá ao lado mental é tão grande que durante muito tempo ele trabalhou com Elliot Roe, treinador mental pessoal. Quando o alemão se dedicou a projetos além do poker, ele trouxe Roe para desenvolver um aplicativo de técnicas de otimização da mente.

Há competidores profissionais de poker que praticam além dos 70 anos e que acumulam mais de três décadas de carreira. Holz atualmente não disputa tantos torneios como antes, mas prestes a completar 25 anos ele ainda tem muito caminho pela frente para tentar se estabelecer como o competidor mais lucrativo e bem-sucedido da história.

No entanto, independente do futuro, ele já cravou seu nome no livro do esporte como um dos competidores mais fantásticos que o poker viu.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.